sexta-feira, 9 de maio de 2014

O Cão dos Baskervilles de Arthur Conan Doyle



A tonalidade desta história é cinza. E ela é lamacenta, sombria, chuvosa e claro: misteriosa. Parece mais um caso sem solução, um crime perfeito. Sim, porque este crime, ao que parece, não foi cometido por nenhum humano.
 
O que acontece é que nem mesmo uma maldição sobrenatural é indecifrável para ele, o grande Sherlock Holmes. Não será um caso fácil este de O Cão dos Baskervilles. Em muitos momentos será gelado e aterrorizante, mas não há crime sem solução quando um dos maiores detetives de todos os tempos é chamado para investigar os fatos. E alguém tem alguma dúvida de que ele desvendará mais este assassinato?
 
Arthur Conan Doyle
Arthur Conan Doyle nasceu em 22 de maio de 1859, em Edimburgo, Escócia e morreu em 07 de Julho de 1930. Era filho de um artista irlandes alcoólatra, que trabalhava como funcionário público. Doyle estudou medicina na Universidade de Edimburgo e formou-se médico. Sherlock Holmes é inspirado em um de seus professores: Joseph Bell. Ele gostava de estudar sobre o espiritismo e muitos anos depois ele se converte definitivamente, o que acabaria afetando a credibilidade de sua obra.

Montou em determinada época seu próprio consultório e enquanto esperava por pacientes escrevia contos para matar o tempo. Um Estudo em Vermelho que nos apresenta o maior detetive de todos os tempos foi publicado em 1886. Foi casado duas vezes e teve quatro filhos.