sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Cântico de Natal - Charles Dickens


Cântico de Natal é um clássico da literatura inglesa e mundial. Influenciou filmes, gibis, desenhos animados e até outros livros. O personagem principal desta história é Scrooge, um senhor sovina e de coração duro. Scrooge não liga para o Natal e nem para ninguém. Nada o comove: nem as misérias alheias, nem o sofrimento, o frio, e nem mesmo as alegrias. Vive em seu mundo, só preocupando-se com os seus negócios e sua riqueza. Não tem amigos, ignora a família, mas não sente-se solitário.

Era mais uma noite de Natal e as pessoas estavam celebrando pelas ruas de Londres. Para Scrooge, no entando, era só mais um dia, como outro qualquer. Ao terminar o seu serviço, nem um segundo a menos do que o horário habitual, ele dispensa o seu funcionário e vai sozinho para casa. Mas ao deitar-se, tem uma grande surpresa: em seu quarto, aparece seu antigo sócio Jacob Marley. Só havia um único probleminha com Jacob: ele estava morto há sete anos. 

Apavorado, Scrooge teve que escutar o motivo daquela aparição. Ele estava sendo informado que seria visitado por mais três espíritos: o dos Natais passados, do Natal presente e dos Natais futuros. Sem ter como escapar, Scrooge sai em uma viagem com os fantasmas e termina fazendo uma revista em sua vida e no seu futuro. Como esta estranha noite impactará na vida do pobre homem rico?

Em Cântico de Natal, Dickens mostra um pouco das relações de trabalho no século XIX.

Charles Dickens

Charles Dickens nasceu na cidade de Moure, Condado de Hampshire, Inglaterra. Com 10 anos, por causa de problemas financeiros da família muda-se para Camden Town, então bairro popular. Por conta disso Dickens teve que trabalhar em uma fábrica que produzia graxa para sapatos. Vivendo em plena era da Revolução Industrial, as más condições de trabalho seriam por ele retratadas em suas obras. Ele teve dez filhos, com a mesma esposa e morreu em 1870. Foi enterrado na Abadia de Westminster. Cântico de Natal foi publicado em 1843.